domingo, 25 de abril de 2010

Qual é nossa identidade?

Postado por Nidiane Latocheski às domingo, abril 25, 2010
Reações: 
6 comentários

Perguntas que não querem calar:
O que torna as pessoas tão preconceituosas? Por que manifestam-se contrárias às ideias, pessoas ou locais diferentes, sem ao menos conhecê-los? Até onde nós, cidadãos, continuaremos inertes diante de situações de discriminação, maus tratos, violência? Se não agimos, por que ao menos não divulgamos nossos pensamentos de repúdio??


Dia 20/04, recebi um e-mail sugestivo da professora Doralice Araújo, lá do Paraná, sobre um artigo em destaque, no blog do Folhateen, que mostra claramente o bullying praticado nos grandes centros do país contra moradores ou  nascidos em regiões menos desenvolvidas, como a nossa. Ela sugeriu trabalhar em sala de aula sobre o assunto e "quebrar o silêncio profundo" de todos nós que habitamos por aqui e em outras regiões menos favorecidas.

Só pela fotinha abaixo podemos ter uma ideia da discriminação.
A matéria narra que em São Paulo, jovem debochava da origem de uma colega para maltratá-la.


Que absurdo, não?? Também fiquei indignada! Por isso, quebremos o silêncio e manifestemos as referências positivas de nosso Estado."Bote a boca no trombone!!". Assim, seremos respeitados!! Afinal, quando as notícias chegam no Sul, Sudeste e Centro-Oeste são sempre negativas..

A proposta é:
Redija um artigo de opinião mostrando porque morar e viver em Rondônia não é motivo de vergonha ou preconceito. 


Ou simplesmente, dê  4 justificativas do orgulho por ter nascido, morar e estudar em Rondônia.

Participe da campanha: CONSTRUÇÃO DA IDENTIDADE RONDONIENSE!!

Central de Notícias RO  também publicou hoje que a menina, referida na matéira da Folha de São Paulo "ia ao banheiro chorar e pedia aos pais, por telefone, para voltar para casa."

Tudo Rondônia  - site de notícias com comentários sobre tal matéria. ("o que mas as deixam tristes é ver quantas pessoas la estão vivendo nas ruas e quantas crianças estão abandonadas, coisa que por aqui não acontece com tanta frequencia" diz Dérué )

Outro comentário que me chamou a atenção foi do Fernão Capelo: "1. Somos mal tratados quando as TVs apresentam os seus telejornais, pois tudo só acontece no Rio ou em São Paulo. 2. Somos mal tratados quando só se fala dos times do sul ou sudeste e mesmo assim torcemos por aqueles times. Flamengo, São Paulo, Corinthians, etc, etc. 3. Somos mal tratados quando por nós mesmos quando enchemos o ar com fumaça de queimadas inconsequentes. 4. Somos mal tratados por nós mesmos quando os nossos jornais só falam do futebol do sul e do sudeste, dando maior destaque a aqueles times. 5. Somos mal tratados quando escolhemos políticos incompetentes e corruptos para elege-los. 6. Somos mal tratados quando por teimosia ainda queremos eleger um candidato cassado por corrupção acreditando que o mesmo foi injustiçado. 7. Somos mal tratados quando não exigimos dos governantes boas escolas e bons professores para os nossos filhos. 8. Somos mal tratados quando não exigimos o governantes hospitais suficientes para cuidar das nossas mazelas. 9. Somos mal tratados por que não nos respeitamos como cidadãos e ficamos de bico calado, mesmo quando vemos que as coisas não estão certas."
Viu só? temos muito senso crítico!!


sábado, 24 de abril de 2010

Rotina, leitura e alunos.. minha profissão e minha vida!

Postado por Nidiane Latocheski às sábado, abril 24, 2010
Reações: 
2 comentários
Vilhena, 24/04/2010   - Sábado

Que saudade!!

Quase um mês sem postagens, mas voltei!!
Espero conseguir atualizar com mais frequência. Apesar de não ser muito fácil encaixar tempo livre em minha rotina, vou tentar.
Minhas horas "vagas" são minúsculas:duas manhãs e duas noites.(nem preciso contar que trabalho em casa nesses dias..) Durante a semana, são 47 aulas em sala de aula, divididas nos três períodos.

E agora que justifiquei a demora, veja algumas fotos da Sala de Leitura Castro Alves, com meus queridíssimos alunos, claro! 

 Aqui a Kely e eu, na primeira aula - ambas gravidíssimas..
Kely apresentando o termo de compromisso para empréstimos 
de livros e funcionamento da Sala de Leitura Castro Alves.
Um dos melhores momentos.. a escolha!!
 O melhor MOMENTO!!
Que concentração!! 
Eliane 6º B 
E aqui os alunos do noturno - 1º ano, 
com professora Solange.


terça-feira, 6 de abril de 2010

Quem não lê

Postado por Nidiane Latocheski às terça-feira, abril 06, 2010
Reações: 
7 comentários
Terça-feira:06/04/2010
“A pessoa que não lê, mal fala, mal ouve, mal vê"
 [Malba Tahan].

segunda-feira, 5 de abril de 2010

Leitura e cidadania

Postado por Nidiane Latocheski às segunda-feira, abril 05, 2010
Reações: 
0 comentários
Segunda-feira: 05/04/2010

Tudo pode começar por uma simples frase que nos chama a atenção e faz-nos ler até o fim.. Foi assim que continuei lendo uma postagem (das várias maravilhosas que existem lá...) do site: Livros só mudam pessoas:) . Trata-se de um texto que aborda a leitura como AINDA longe de ser  prioridade na nossas escolas, infelizmente! E não sou eu quem diz, mas os próprios índices de avaliação do país.
A epígrafe da qual me referi foi:
"Ler é um meio de se tornar melhor, mais completo, mais capaz de lidar com o    mundo     contemporâneo" 
 (MARAVILHOSA, NÃO???)
  Chega de divagar.. Agora, tire vc mesmo as próprias conclusões e entenda por que a leitura contribui para a formação integral do ser humano.. 
 Leia o texto na íntegra:
LEITURA E CONSTRUÇÃO DA CIDADANIA

"Ler é um meio de se tornar melhor, mais completo, mais capaz de lidar com o mundo contemporâneo" 
Em dos grandes desafios deste início de século, em que um panorama de alto desenvolvimento científico-tecnológico está presente, é tornar o homem capaz de utilizar sua criatividade para gerar inovação e provocar mudanças no cenário em que está inserido. Isso implica uma postura sensível, dinâmica, responsável, independente e participativa.

A universidade, na tentativa de enfrentar essa questão, tem buscado caminhos de reestruturação/renovação de seus projetos pedagógicos, voltados à instauração de um ambiente de ensino-aprendizagem favorável à construção do perfil desse novo homem.

Ao se lançar um olhar mais acurado sobre a realidade nacional, um fato recente chama a atenção dos educadores: dados do Ministério da Educação e Cultura apontam que somente 2,5% dos cerca de 1,2 milhão de alunos que participaram do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), em 2002, conseguiram tirar uma nota acima de 70 pontos. Em relatório, o MEC afirma que "a ausência do domínio da leitura compreensiva" foi a possível causa do desempenho apresentado por esses alunos, ressaltando, em sua análise, que esse resultado indica a necessidade de se dar mais ênfase ao aprendizado da leitura.

Um ponto de grande contradição na sociedade contemporânea emerge ao se observar que, globalmente, se vive a era da complexidade enquanto, isoladamente, um aspecto de limitação do ser humano se faz presente: a dificuldade de compreender os códigos de sua língua, o que se traduz num empecilho para "ler o mundo" que está a sua volta e, conseqüentemente, se sentir parte desse todo.

Na busca de se apontar um caminho de possível interferência na realidade que se apresenta, com vistas à sua superação, acredita-se que o desenvolvimento do processo de leitura seja de fundamental importância na formação do homem durante toda a sua vida, não só nos meios acadêmicos, como forma de estruturá-lo ao bom desempenho, mas, principalmente, para sua descoberta pessoal, sua formação integral.

Nesse sentido, destacam-se alguns pontos para reflexão, ao se interrogar: Por que a leitura tem tanta importância na formação do homem?

- A leitura propicia o desenvolvimento da sensibilidade humana; é um estímulo à imaginação.

- A leitura impulsiona o potencial criativo do homem, é canal gerador e mantenedor de seu crescimento intelectual e propulsor do desenvolvimento harmonioso de sua personalidade.

- A leitura é caminho para a construção da autonomia e, conseqüentemente, da conquista da cidadania.

O ser humano é um ser dado à aventura, à curiosidade, à permanente procura.

Segundo Paulo Freire, "sonhar faz parte da natureza humana que, dentro da história, se acha em permanente processo de tornar-se". (1993, p.91).

O homem se constrói ao sonhar e projetar seus sonhos. A imaginação criadora é, pois, própria da condição humana e, vitalmente, necessária para a ampliação de sua experiência e expansão para além do circunstancial e do imediato.

Sendo assim, a leitura pode se tornar um canal de extrema importância para o desenvolvimento da sensibilidade e da criatividade do homem.

Ler estimula a imaginação, instiga o pensamento, impulsiona o sonho, que se coloca como o motor de todo o processo de construção do homem como ser histórico.

Ao se constituir uma via de diálogo, de questionamento e de descoberta, a leitura amplia e dá significado à vida do homem.

Ao estimular o pensamento dinâmico e inquieto, propicia o exercício crítico, constituindo-se como caminho de conscientização, de descoberta de sua condição de ser criador e, como conseqüência, instrumentalizando-o na construção de sua plena cidadania.

O caminho da leitura, ao estimular e dar suporte ao processo de reflexão, torna-se, pois, veículo de libertação, ao possibilitar o desenvolvimento daquilo que o homem tem de mais vital - o seu pensar.

Nos versos de uma canção de Lupicínio Rodrigues, essa idéia transparece de forma sensível: "o pensamento parece uma coisa à toa, mas como é que a gente voa quando começa a pensar..."

Na tentativa de justificar a importância do domínio da leitura na formação do homem, alguns pontos são destacados, em resposta à questão:

Ler para quê?

Ler para despertar o desejo de ler mais, abrindo assim um canal de superação pessoal da mente e do espírito.

Ler para se tornar melhor, mais completo, mais tolerante, mais capaz de lidar com a diversidade no complexo mundo contemporâneo.

Ler para se descobrir como "ser de abertura", sempre em busca de novas formas de compreensão de si mesmo e do mundo.

Eis algumas razões para acreditar que o caminho da leitura possa ser propulsor do processo de construção do ser autônomo e, como conseqüência, responsável pelo nascimento de sua cidadania plena.
Revista: Ensino Superior 

sábado, 3 de abril de 2010

Estudo e lazer

Postado por Nidiane Latocheski às sábado, abril 03, 2010
Reações: 
1 comentários
Sábado: 03/04/10 
Em época de vestibular os estudantes deixam os momentos de lazer em segundo plano. Porém para ter um bom rendimento, o vestibulando também precisa descontrair. Conheça estudantes que conciliam estudo e lazer.

A VEJA disponibilizou um vídeo com especialista declarando os motivos da conciliação entre estudo e lazer


   
 

Blog da Nidi Copyright © 2010 Designed by Paulinha Lobato